• drafernandacalil

Planejamento de gravidez

Independentemente de ter sido planejada ou de ter sido descoberta num momento em que o casal ainda não esperava, a gravidez é um período mágico e de lindas transformações.


Mas é fato que uma paciente reumatológica deve ter um cuidado maior quando o assunto é gestação. Isso porque a gravidez não planejada na mulher com doença reumática pode ter dois fatores de complicação. O primeiro deles é a doença estar em atividade, o outro é o uso de medicações proibidas para a gestação. O recomendado é que a gravidez aconteça quando a doença está controlada por, pelo menos, seis meses. Assim, riscos como o de abortamento, pré-eclâmpsia, retardo no crescimento intrauterino e prematuridade são reduzidos. O uso de medicamentos inadvertidos também pode trazer complicações ao feto, como a malformação congênita. Há alguns, como o metotrexato, o mais comum para tratamento de artrite reumatoide, que precisam ser interrompidos com grande antecedência do início da gestação. Por outro lado, parar de tomar os medicamentos corretos pode exacerbar os sintomas.


Hoje temos informações suficientes para garantir a segurança durante a gravidez, sabemos quais medicamentos devem ser usado no período todo, os que só podem no começou ou no final da gestação. Por isso, o ideal é que a mulher – caso queira engravidar – reforce essa informação junto ao reumatologista.




3 visualizações0 comentário